Website Creator

O que é Nutrição
Funcional?

A nutrição funcional tem como foco principal entender a individualidade bioquímica de cada pessoa. Cada um apresenta um DNA com suas próprias características, o que interfere na cadeia bioquímica de absorção dos nutrientes. Por isso, o que serve para uma pessoa, pode não trazer tantos resultados para outra.  Através de uma combinação de nutrientes adequados, considerando a individualidade de cada um, é possível prevenir doenças crônicas, melhorar a qualidade de vida, eliminando sintomas que já se tornaram parte da rotina, como:

· Dores de cabeça;
· Mau humor, compulsão alimentar, ansiedade e irritabilidade;
· Enxaqueca;
· Anemia;
· Sobrepeso e obesidade;
· Hipertensão;
· Aumento do colesterol e triglicerídeos;
· Diabetes;
· Candidíase crônica e outros problemas fúngicos;
· Gastrite, má digestão, refluxo, azia, formação de gases e constipação;
· Doença de Chron;
· Síndrome do intestino irritável;
· Acne, psoríase, ressecamento cutâneo, dermatites e micoses;
· Disfunções de tireoide e TPM;
· Rinite, sinusite, asma e bronquite;
· Alergias alimentares;
· Celulite, flacidez e enfraquecimento de unhas;
· Osteoporose.

Além desses sintomas existem muitos outros, é importante sempre consultar um profissional para entender seu estado nutricional e verificar as possibilidade de tratamento dos sintomas!

Como a Nutrição
Funcional pode te ajudar?

Muitos dos sintomas que que aparecem correspondem ao excesso ou carência de um ou mais nutrientes, que interferem no bom funcionamento do nosso organismo.
Através dessas informações, e conhecendo mais sobre o estilo de vida, é possível iniciar um tratamento focado na melhora orgânica do corpo, que irá melhorar os sintomas e tornar a caminhada até o objetivo principal de cada pessoa mais fácil de ser atingido.

Para isso, a pessoa deve seguir um plano alimentar individual elaborado de acordo com cada pessoa, que sofrerá alterações, conforme a evolução e desaparecimento dos sintomas.

Curiosidades

A nutrição funcional chegou ao Brasil em 2003, mas foi criada na década de noventa pelo médico Jeffrey Bland, idealizador e co-fundadores do Instituto de Medicina Funcional nos Estados Unidos. Esse novo olhar considera as interações de todos os órgãos do corpo e suas conexões, juntamente com fatores ambientais e genéticos.

Para ter boa saúde é necessário um equilíbrio não somente físico, mas também emocional e energético. Uma avaliação completa de todos esses aspectos permite entender melhor a origem dos sintomas e oferecer um tratamento capaz de equilibrar e corrigir determinados distúrbios. 

Desde o Projeto Genona Humano, no ano 2.000 muitos estudos que relacionam a nutrição e a genética tem sido desenvolvidos e a partir deles já sabemos que alguns alimentos podem servir de gatilho para o desenvolvimento de doenças crônicas, assim como outros podem apresentar efeito protetor e evitar o surgimento das mesmas.

Dicas da Nutri

Grãos germinados são alimentos vivos!
A germinação é o início de um processo que leva a semente a se tornar uma planta, o que aumenta seus valores nutricionais. Quando um grão tem água, oxigênio e calor necessários, germina para formar um novo ser vivo.
Além de melhorar a composição nutricional dos alimentos, também há a redução dos chamados fatores antinutricionais (que prejudicam a absorção de nutrientes pelo organismo), como o ácido fítico (fitato) e o tanino, encontrados nos cereais integrais, feijões e oleaginosas.

O que podemos germinar:
• Grãos inteiros de cereais – arroz, trigo, centeio, aveia, cevada…
• Sementes – quinoa, linhaça, abóbora, girassol, gergelim…
• Oleaginosas – castanha do pará, castanha do caju, amendoim, amêndoa, nozes…
• Algumas hortaliças – agrião, rabanete, alho, cenoura, beterraba…
• Leguminosas- todos os tipos de feijões, ervilha, soja, grão-de-bico, lentilha…
• (com exceção da lentilha, todas as leguminosas devem ser deixadas germinar por 48 hs e depois devem ser cozinhadas, para então comer. Assim aproveitamos ao máximo os nutrientes)